A Dissuasão Estadunidense e o Equilíbrio de Poder na Ásia

             Recentemente, o Presidente dos EUA (Donald Trump) ordenou o deslocamento de um porta aviões para o mar da China. A ação foi muito criticada pela mídia que alegava tratar-se de uma medida unilateral incapaz de conter as iniciativas da Coréia do Norte em torno do programa nuclear. O Presidente, em sua defesa, mencionou o direito internacional e explicou que as negociações para conter o programa nuclear Norte-Coreano fracassaram.

             Para interpretar, tecnicamente, os fatos apresentados é necessário compreender alguns conceitos como: a dissuasão, a soberania nacional e a anarquia internacional. A dissuasão é um conceito muito difundido, pois, explica a manutenção dos programas militares regionalmente. De acordo com esse conceito, cada país deve ser capaz de repelir ameaças externas. Para tanto, determinado país deve ter meios suficientes para dissuadir qualquer intenção que venha expor sua soberania. Por isso, mesmo em períodos de paz os países mantêm seus programas militares e políticas armamentistas.

                Além desse conceito, existe a ideia de soberania nacional em que um país deve determinar-se quanto as escolhas para o progresso e os meios para sua manutenção sem ingerências externas. Por fim, a ideia de anarquia internacional que expõe a ausência de um governo global como fator exclusivo para que os países adotem medidas unilaterais, apesar da existência de organizações internacionais.

                O que aconteceu após adoção de ações mais beligerantes por parte dos Estados Unidos foi a exposição de fraquezas institucionais e do diletantismo infrutífero do discurso pacifista. Em outra análise, demonstrou que o poderio estadunidense ainda exerce peso relevante na balança de poder. A ação de levar um porta aviões para a Ásia esclareceu que a China, apesar de potência econômica, não é um líder global nem ao menos regional. Nesse sentido, observa-se que o mundo ainda é uni-multipolar. Neste momento, a balança de poder pende para os EUA e seus aliados na Ásia e como consequência forçou a China a abandonar suavemente seu pequeno aliado (Coréia do Norte).

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s